As âncoras que nos impedem de zarpar

Belo Horizonte | Sexta-feira, 21 de julho de 2017 - 17h 46 - Atualizado às 20h 21

A sensação é de que damos um passo para frente e três para trás. Logo após a aprovação da tão necessária e celebrada modernização trabalhista, sofremos novo golpe. O recente aumento da tributação nos combustíveis é um verdadeiro prejuízo para toda a economia. Fechar as contas públicas nas costas do povo que trabalha e paga os impostos é irresponsável e digno de repúdio. O peso de mais essa carga recai, mais uma vez, sobre empresários e consumidores - as engrenagens principais do desenvolvimento econômico. De um lado o empresário permanece com as contas estranguladas, principalmente em termos de logística e, do outro lado, o consumidor com cada vez menos dinheiro disponível para consumir e fazer essa roda girar de maneira virtuosa.

 

 

Como fazer a economia voltar a crescer se somos diariamente penalizados? Com altos números de desemprego e a alta tributação para suprir o inchaço das contas, fica difícil acreditar na retomada do crescimento. Criamos nossos próprios fatores limitantes. Nós brasileiros definitivamente não aguentamos mais arcar com as consequências do mau uso do dinheiro público. Queremos e merecemos o retorno dos impostos pagos através de serviços melhores na saúde, segurança, educação, entre outros. Já que vamos pagar, que pelo menos possamos pagar por qualidade e ver os impostos realmente cumprindo a sua função.

 

 

Frank Sinatra

Presidente FCDL-MG

Galeria de Fotos

AGO - Eleição 2017

AGO - Eleição 2017

Revista Movimenta

 

 

 

Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de Minas Gerais

Av. Silviano Brandão, 25 – Sagrada Família – Belo Horizonte/MG

CEP: 31030-525 – Telefone: (31) 2532-3300